sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

alguém me ajude

Eu detesto listas.
Listas me lembram de obrigações, e não sou a maior fã delas. Pior: listas me cobram, ficam gritando no meu ouvido e dizendo que eu sou inútil e incompetente, olha tudo que você ainda não fez.Talvez por isso eu nunca tenha me dado bem com agendas. Minha primeira experiência positiva com uma foi no semestre passado.

Eu detesto listas. Elas me irritam profundamente. Parecem que estão lá para debochar de mim, da minha improdutividade.

Eu odeio listas.
Elas me fazem trabalhar.

Listas me enchem do fogo de mil sóis e da quantidade de raiva necessária para me tirar do meu estado de preguiça e procrastinação e começar a fazer as coisas. Quanto mais longa a lista, melhor. Quanto mais quebradas em pequenos pedaços as atividades que preciso cumprir, melhor. Cada item que risco me enche de satisfação e me motiva a continuar, para eliminar o máximo de linhas possíveis. Listas, quando em estado de constante alteração, fazem com que eu sinta que estou fazendo coisas. Que estou trabalhando na direção de completar a tarefa que preciso executar. E isso costuma ser verdade.

O problema é, às vezes eu me descontrolo e faço mais listas do que tenho a capacidade de acompanhar. E elas se acumulam e acumulam e não consigo terminar nenhuma, e ao invés do processo de sucesso e recompensa que consigo normalmente, encontro apenas frustração.

Tudo isso para dizer que, eu faço listas de livros para ler. Mas não faço uma única lista, oh não. Faço diversas listas, cada uma com uma temática diferente, cada uma em um lugar, cada uma com um formato. Quando comecei esse post, achei que tinha 5, e acabei de lembrar que na verdade são 6.

A mais recente foi elaborada com livros cobrados no vestibular da Unicamp e da USP que eu não li.

- Poemas Negros, Jorge de Lima
- O Espelho, Machado de Assis
- Sagarana (inteiro), Guimarães Rosa
- O Bem Amado, Dias Gomes
- Coração, cabeça e estômago, Camilo Castelo Branco
- Caminhos Cruzados, Érico Veríssimo
- História do Cerco de Lisboa, José Saramago
- A teus pés, Ana Cristina César
- Iracema, José de Alencar (esse provavelmente vai ser o último, por algum motivo meu cérebro associou Iracema a tédio profundo)
- Claro Enigma, Drummond
- Mayombe, Pepetela
- Minha vida de menina, Helena Morley
- A relíquia, Eça de Queirós

Tem a lista de leituras que eu pretendia que fossem imediatas no final do semestre passado:

- O Ateneu, Raul Pompéia
- Meio Sol Amarelo, Chimamanda Ngozi Adichie
- A Geração da Utopia, Pepetela
- O Sol é Para Todos, Harper Lee
- Cidades Invisíveis, Ítalo Calvino
- A Cor Púrpura, Alice Walker
- Beloved, Toni Morrison

A lista que eu fiz no final das férias passadas para as próximas férias (ou seja, essas)

- Senhor dos Anéis, Tolkien
- Decamerão, Boccaccio
- O Mundo de Sofia, Jostein Gardeer
- Senhor das Moscas, William Golding
- Os Versos Satânicos, Salman Rushdie

Tem a lista que na verdade consiste nos livros físicos que estão na estante do meu quarto, alguns dos quais quero reler

- Os Julgamentos de Loki, uma HQ da Marvel
- O Nascimento do Cemitério, Lauwers
- Uma estadia no inferno, Arthur Rimbaud
- Poemas, Emily Dickinson
- Entreversos, Byron e Keats
- O coração das trevas, Joseph Conrad
- Tudo o que eu nunca contei, Celeste Ng
- Eles não usam black-tie, Gianfrancesco Guarnieri
- Como se faz uma tese, Umberto Eco
- Vozes anoitecidas, Mia Couto
- 50 Great Short Stories
- A Bíblia
- A Corrida de Escorpião, Maggie Stiefvater
- Hamilton, The Revolution
- listas extraordinárias
- Esquilos de Pavlov, Laura Erber

As duas últimas listas eu tirei do tumblr. Uma delas é daquele esquema de "100 livros que todos deveriam ler", e a outra é uma compilação de livros LGBT. Alguns títulos se repetem. Eu risquei os que já li, por isso está um pouco bagunçado (é só clicar nas imagens para aumentar).


Considerando que só nas listas feitas por mim têm mais de 40 livros, EU ACABEI DE LEMBRAR QUE TEM OUTRA LISTA.

Lista de literatura francesa que estava esquecida em um caderno:

- O Vermelho e o Negro, Stendhal
- Germinal, Zola
- O Corcunda de Notre Dame, Victor Hugo
- O Estrangeiro, Camus
- A Mulher de 30 Anos, Balzac
- Madame Bovary, Flaubert
- Dama das Camélias, Dumas Filho

São sete listas. Eu tenho muitos livros para ler.

乁( ˙ ω˙乁)

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

primeiro post de 2018

A vida continua quando o ano muda, mas ao mesmo tempo tudo começa de novo. Tem um motivo pelo qual é tão idiota e ao mesmo tempo engraçado fazer piadas de "não te vejo desde o ano passado!" ou "não como desde o ano passado" para as pessoas que passaram a virada com você.


Tem uma crendice de ano novo que diz que o que você faz no primeiro de janeiro vai se refletir em todos os outros dias. Eu devo ter acreditado nisso só uma vez. A longo prazo, não faz sentido. Mas, ao mesmo tempo, o ano novo zera todos os relógios e contagens e alarmes. No fundo da nossa cabeça, a piada dos primeiros minutos fica se repetindo. "Eu não fazia isso desde o ano passado. Essa é a primeira vez no ano que isso acontece"
Dependendo de a que o pensamento se aplica, a memória dessa estreia vai ser comparada com a de outros anos. Vai fazer parte dos critérios de julgamento para a decisão se esse ano foi melhor ou pior que os outros.

Eu não sei ainda o que achei de 2017, por exemplo. Sempre demoro mais do que as outras pessoas para passar julgamento no ano anterior. Talvez por junho eu tenha uma opinião. É tudo muito fluido, sabe? Um ano é feito de muitas coisas, altos e baixos. É difícil colocar um selo definitivo.
2017 foi estranho. Pronto, essa etiqueta é mais fácil que bom e ruim.

Esse é o primeiro post de 2018. Ele foi começado ainda em janeiro, mas não saiu. Enquanto eu olhava meus rascunhos, pensava, é o primeiro do ano. O que eu quero que seja o primeiro do ano?
Bem, por causa de toda essa reflexão, o post é, antes de tudo, atrasado.

Não tenho certeza de qual foi o primeiro livro que li em 2018. Lembro que li, e lembro que pensei bastante a respeito, e acho que foi "O dia em que troquei meu pai por dois peixinhos dourados", um livro infantil do Neil Gaiman, mas não tenho mais certeza. Já li várias coisas desde então, e está tudo emaranhado.
Não acho que farei listas mensais de livros lidos esse ano. Mas talvez faça um projeto de um-livro-de-Neil-Gaiman-por-mês. O desse mês foi "Good Omens: The Nice And Accurate Prophecies of Agnes Nutter, Witch", traduzido para o engraçadinho título de "Belas Maldições: As Justas e Precisas Profecias de Agnes Nutter, Bruxa". Terry Pratchett também é um dos autores, mas acho que isso não desclassifica o livro.
Mês que vem estarei as voltas com "M is for Magic".


Sei exatamente qual foi a primeira música que ouvi em 2018. Não deixei no aleatório para ver se recebia uma mensagem do universo; escolhi com cuidado e intenção. E, motivada pela aleatoriedade e inevitabilidade da vida, minha escolha foi Things Happen, do Dawes. O refrão, muito apropriado para um ano novinho em folha, diz: "eu não sei o que mais você queria que eu te dissesse / coisas acontecem / é só isso que elas fazem".


Passei bastante tempo no tumblr no primeiro mês do ano, algo que não fazia havia... um bom tempo.

Vi todos os meus amigos do ensino médio que ainda são de fato meus amigos. Sabe, aqueles com que ainda converso e conto coisas, mesmo que com menos frequência do que antes. Achei essa uma grande conquista.

Chorei pela primeira vez imediatamente na madrugada do dia primeiro para o segundo. Quanto mais cedo melhor, não é mesmo.

Acho que não fui ao cinema ainda. Essa grande falha pretendo remediar na sexta.

Já escrevi. Menos do que deveria ter escrito, mas é muito raro, senão impossível, escrever o quanto se deveria.

Pretendo que seja um bom ano.

ᕕ(ᐛ)ᕗ

sábado, 30 de dezembro de 2017

o que é amizade

amizade é comprar M&M de amendoim pra sua amiga? é ter um nome de contato personalizado por motivos de piada interna no celular da outra pessoa? é reconhecer a conta do spotify pelo gosto musical? é mandar memes em momentos aleatórios e momentos importantes? é encostar na pessoa para demonstrar apoio quando ela está passando por alguma coisa que você não tem como melhorar? é sair da aula e acompanhar até o hospital? é oferecer para ela passar o final de semana na sua casa e assim economizar dinheiro? é fazer um cachorrinho de papel no aniversário? é trazer lembrancinha de viagem? é enviar uma foto de animal porque você estava "digitando triste"? é só querer o bem da pessoa? é ajudar a parar de procrastinar? é indicar um lugar bom para comer? é emprestar a carteirinha para comer no restaurante universitário? é pedir ajuda e receber? é mandar um desenho e receber feedback? é passar por situações epicamente awkward junto? é sentar as 4 no banco de trás do carro? é dizer que cada foto que o outro manda é um tiro? é indicar música e a pessoa ouvir? é revisar trabalhos finais/contos/provas/poemas? é comprar um presente de amigo secreto em dólar? é desejar feliz natal por mensagem assim que dá meia noite? é trocar memes? é marcar em coisas no twitter? é tocar e cantar a música que a pessoa pede? é visitar quando ela vem pra casa? é interromper o banho para dar um presente de natal absolutamente maluco? é ler/assistir algo que a pessoa recomendou e ir reagindo em tempo real? é mandar mensagem de madrugada? é não se falar por semanas e não fazer diferença? é contar sempre a mesma história quando vocês saem? é jogar para a outra pessoa dividir a conta? é se intercalar para pagar cafés? é dar caronas? é fazer cafuné? é trocar fotos de cortes de cabelo? é decidir como lidar com outras pessoas juntos? é um entender a maldade do outro? é não concordar com as decisões do outro mas ajudar para que elas sejam o mais bem-sucedidas possível? é dizer que vai te dar uns tapas se você não se acalmar? é comemorar suas vitórias? é comer o resto da sua comida quando você não aguenta? é fazer estátuas de biscuit para dar de presente? é fazer uma festa surpresa? é não apagar as selfies que o outro manda? é escutar áudios de mais de um minuto? é se esforçar pra fazer comida vegetariana? é ajudar a pintar o cabelo? é ajudar a invadir a sua própria casa? é ir pra faculdade durante as férias pra assistir o tcc? é explicar o que é depressão? é trocar fotos feias no snap? é não perceber que você falam de assuntos sérios? é se encontrar de manhã na faculdade pra tomar café da manhã? é aspirar a casa do outro quando vai visitar? é interpretar mapa astral pra você? é dizer quando você foi babaca e te acalmar quando você só acha que foi? é ler suas fanfics? é te ajudar a pesquisar fatos históricos pra colocar na sua fanfic? é criar uma família junto no The Sims? é trocar print de comentários de vídeos no youtube? é ter um atalho pra sua conversa no celular? é ajudar a entender a integralização? é criar nome de ship pra vocês? é dizer que vocês são irmãos? é emprestar coisas e depois dizer "pode ficar pra você"? é oferecer sua casa para eles virem passar o natal? é sentir saudades? é compartilhar links de arquivos? é não dar spoiler mesmo quando você quer muito? é escutar? é discutir sobre quem vai te chamar para sair? é sair pra tomar um suco? é fazer caminhadas? é postar milhões de fotos na história do snap? é comemorar quando você finalmente entra no facebook? é te avisar sobre coisas que estão acontecendo no facebook? é fazer o outro passar vergonha em público? é levar no cinema? é dizer,  não, imagina, eu nem to sono, pode falar? é fazer noites do pijama? é reclamar de gente que você nem conhece? é consolar quando as coisas não dão certo? é levar uma roupa até você porque "é sua cara"? é trocar testes do buzzfeed? é jogar gartic e xingar os desenhos um do outro? é confiar com o nome do seu tumblr? é te ensinar a mexer em coisas de tecnologia? é escutar você falar animadamente sobre coisas que te interessam? é te incentivar a fazer coisas que te deixam feliz? é fazer sua maquiagem? é te impedir de mandar mensagem pra algumas pessoas? é fingir que você gostou de um livro? é tentar estar sempre lá?

eu poderia continuar esse post para sempre, mas acho que a conclusão é meio óbvia.
só um lembrete:


(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧ 

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Leituras de Outubro

(esse post está bastante atrasado, mas está aqui, e é isso que importa)

Eu pretendia ler 16 livros em outubro, para passar a marca de agosto. Não aconteceu, o que não é surpreendente, considerando que o Final de Semestre se aproximava. Nem fiz uma lista das leituras de novembro, porque não foram suficientes para formar um post de respeito. Os 10 livros de outubro valem a pena registrar por pouco.

-The Raven King (de A Saga dos Corvos)


OLHA QUE CAPA MARAVILHOSA.
Foi o último, e eu fiquei muito triste por ser o último até que lembrei que vai ter toda uma nova trilogia com meu personagem preferido de protagonista :3
É uma conclusão cruel, em certa medida. Boa, mas cruel.

-Auto da Compadecida

Fui ler porque amigos fazendo uma matéria de teatro disseram que era divertido, e é divertido mesmo. Meu primeiro livro do Ariano Suassuna, e definitivamente não o último. Pretendo ir atrás do filme para ver uma versão encenada.

-O Pagador de Promessas


Também estava na lista da matéria de teatro, e eu pensei, por que não?
Gostei muito. Muito mesmo.Mas, ao mesmo tempo, não sei se quero ver uma versão encenada, porque só ler já me devastou. Tenho medo do que a peça pode fazer.
 
-Naomi and Ely's No Kiss List

Tem um filme desse livro! Eu vi o filme faz algum tempo e gostei bastante, aí outro dia percebi que podia ir atrás de ler o livro. É uma daquelas situações mágicas nas quais o filme consegue ser diferente do livro sem ser ruim - e ao mesmo tempo em que usa frases idênticas. Uma experiência divertida.
 
-The Foxhole Court
-The Raven King (de All for the Game)
-The King's Men




A trilogia All for the Game, que a internet e uma amiga minha amam de paixão (obg por me fornecer os epubs, V). Eu fui com a expectativa de amar de paixão também; afinal, envolve corvos e gente gay, tudo o que eu posso querer. Porém, não foi assim que aconteceu. O primeiro livro é bastante lento, e, exatamente como em Captive Prince, revelou que a série não era em nada como eu esperava. Acabou que gostei bastante, mas, diferentemente de Captive Prince, não conseguiu me convencer o suficiente para me fazer amar. Não sei, acho que é um pouco... forçado? Talvez? Um pouco dolorido demais sem recompensa? Algo assim.
Ah, todos os trigger warnings possíveis. Entrem com cuidado.
 

-Call me by your name

Sim, é o livro que inspirou o filme que está sendo considerado o melhor do ano. Além disso, envolve gente gay - eu não podia não ler.
É um bom livro. Explícito pacas, meus amigos, e devastador nos momentos certos, e descreve os pensamentos erráticos de um ser humano com uma maestria invejável.
Quero muito ver o filme, aaaaaaa
 
-O gato e o escuro

Um livro infantil adorável do MIA COUTO! Uma lenda sobre como gatos do MIA COUTO. Não fica melhor que isso.
 
-Morte em Veneza


Eu queria ler alguma coisa do Thomas Mann, e A Montanha Mágica e Doutor Fausto e José e Seus Irmãos era areia demais pro meu caminhãozinho naquele momento.
Não foi nada do que eu esperava, e ainda não decidi como me sentir a respeito. Minha única conclusão é que preciso reler. 

Também não vai ter lista de leituras de dezembro. Prefiro me entregar ao caos.
 
(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧  

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Estatísticas do Spotify

Ok, esse post é totalmente por motivos de arquivo.
Ontem o spotify liberou o resumo do ano de todo mundo, e eu vi o meu e achei super interessante, mas agora quero deletar esses prints - porém não quero perder essas informações.
Eu poderia fazer o que umas pessoas estão fazendo e postar no facebook. Mas não tenho saco para o facebook, e de novo, isso é mais por arquivo do que qualquer outra coisa, então não preciso dos comentários alheios.

Vamos pela ordem.


Olha, eu não ouvi muita coisa, no final das contas, mas a variedade de artistas ficou bastante impressionante em comparação a isso. 24 também é um bom número de gêneros.
(note que a imagem é do Nothing but Thieves)


Aí tem isso aqui, que é bem daorinha, se me permitem dizer. Mesmo porque é engraçado ver que eu escuto post-teen pop (seja lá o que isso for) e rock alternativo (seja lá o que isso for).


Aparentemente eu não aproveito a minha conta premium tanto quanto eu poderia/deveria.

E por fim, o quadro geral:


Eu fiz várias incursões pelo pop, segundo o spotify, mas no final das contas o que mais escuto é rock moderno (seja lá o que isso for). Admito que fiquei surpresa com meu artista mais ouvido ser o Jake Bugg, mas não deveria ter ficado. O que achei mais legal foi que nenhum dos top artistas está nas músicas mais ouvidas.

ESCUTEM YOURS DO ROCKY NTI. NUNCA TE PEDI NADA.


(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

LIBERDADE

EU ESTOU OFICIALMENTE DE FÉRIAS. Não faz nem uma hora que enviei meu último trabalho, e agora eu estou de férias, férias, férias!
Eu nunca fiz mergulho do jeito sério que demanda galões de oxigênio, mas imagino que o sentimento de sair da pressão das profundezas e voltar para a superfície seja mais ou menos assim.

Outro dia alguém me perguntou como ia a minha vida, e eu disse que quando entregasse meus trabalhos e voltasse a ter uma vida, responderia. O problema é que minha memória das últimas duas semanas está tão embolada que não consigo nem lembrar com quem tive essa conversa para poder avisar que ESTÁ TUDO ÓTIMO.



Inclusive, eu quase me fiz postar nos dois últimos dias de novembro, mas acabei tendo piedade. Alguém precisava ter. Eu achei que tinha feito um bom negócio ao pegar só 5 matérias esse semestre, mas na primeira semana de novembro me vi com 7 trabalhos para entregar. Ou seja, não adianta tentar se livrar. Mas agora ACABOU.

Eu mal li mês passado. É hora de mudar isso.
(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

obsessão musical de 2016

Sabe quando você está de boa vivendo sua vida, vendo vídeos no youtube? E aí o youtube te recomenda vídeos? Tipo músicas? E alguma coisa, talvez o nome da música, ou da banda, ou a thumbnail do vídeo, alguma coisa faz com que você clique na sugestão?
E de repente sua vida muda?
Isso aconteceu comigo.
Oi, meu nome é Mônica, e ano passado eu tive um momento de obsessão intensa por uma banda inglesa chamada Nothing But Thieves.

Não vou fingir que sou uma especialista. É claro que li a página da Wikipedia e entrei no twitter de alguns membros da banda e li matérias em sites, mas isso só me deixa com conhecimento básico. Porém, não é preciso ser ativamente parte de um fandom para apreciar muito, e acho que já é o suficiente a banda ter sido trilha sonora da maioria dos meus trabalhos finais do segundo semestre e de eu saber tocar algumas das suas músicas no violão.
Enfim.
A banda foi oficialmente formada em 2012 e lançou seu álbum de estreia autointitulado em outubro do 2015, depois de uns dois EPs. Os membros da banda são todos da mesma cidade e fizeram ensino médio juntos, e isso não é adorável?


Julgar pela capa é ruim e tudo, mas não é à toa que eu cliquei no vídeo quando a arte do álbum é bonita assim.
 

O segundo álbum, Broken Machine, saiu dia 8 de setembro e até agora os singles são Amsterdam, Sorry, I'm Not Made By Design e Broken Machine. É sem dúvida uma evolução do som do primeiro álbum, mas ainda gosto mais dele. Acho que por ter me acompanhado em um momento difícil, o laço emocional é muito mais forte.


Assim, boa banda. Eles fizeram uma versão toda sombria de Holding Out for a Hero, um hit dançante dos anos 80, para a segunda temporada de Vikings.


E é isso aí.

(ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧